O Saci que levou o Sítio para as telas

O Saci é um filme de fantasia brasileiro de 1951 dirigido e escrito por Rodolfo Nanni, com uma história de Arthur Neves. O filme é baseado no livro de mesmo nome escrito por Monteiro Lobato. A história acompanha um garoto chamado Pedrinho (Lívio Nanni), que demonstra interesse em capturar o mulato de uma só perna, o Saci (Paulo Matosinho), que habita a floresta virgem perto do Sítio do Picapau Amarelo.

Título Original: O Saci (Baseado na obra de Monteiro Lobato)
Ano: 1951
Diretor: Rodolfo Nanni (assistido por Nelson Pereira dos Santos)
Personagens: Paulo Matozinho (Saci), Lívio Nanni (Pedrinho), Otávio Araújo (Tio Barnabé), Olga Maria (Emília), Maria Rosa Ribeiro (Dona Benta), Aristéia Paula de Souza (Narizinho).

Considerado a primeira produção infantil importante do cinema brasileiro, o filme é também a primeira adaptação audiovisual da série de livros Sítio do Picapau Amarelo, de Lobato. Curiosamente, em 1954 o filme ganhou o Prêmio Saci, que premiou os melhores filmes brasileiros da década de 1950.

Depois de voltar de uma viajem estudando cinema em Paris, Rodolfo Nanni teve a idéia de adaptar o livro O Saci (1921), do autor Monteiro Lobato. Ele conheceu o sócio de Caio Prado Jr. na Editora Brasiliense, que detinha os direitos dos livros de Lobato. Arthur Neves começou a escrever o roteiro, que depois foi prosseguido por Nanni. As filmagens foram realizadas em Ribeirão Bonito, próximo a São Carlos. Rodolfo Nanni contou que “A cidade era pequenina, mas muito bonita, cheia de sítios. A população nos recebeu com todo carinho. Nos adotou, por assim dizer. O prefeito emprestou um galpão que estava abandonado e lá montamos um estúdio, filmando os interiores do sítio, com móveis antigos que as pessoas nos davam.”

Lançado apenas quatro anos após a morte do autor Monteiro Lobato, O Saci foi um sucesso comercial e ajudou a fazer a obra de Lobato popular para crianças e adultos, e especialmente entre os analfabetos. O filme ainda é bem lembrado e teve uma segunda estréia no seu 60º aniversário, no Amazonas Film Festival.

Neste filme, a boneca Emília foi interpretada por uma criança, a atriz mirim Olga Maria Amâncio. Um ano depois na adaptação para a televisão do “Sítio” da TV Tupi, a Emília foi vivida por Lúcia Lambertini e a partir daí a personagem só foi interpretada por atrizes adultas nas versões para TV, até 1977 na Globo. A boneca só voltaria a ser vivida por uma criança novamente, em 2001 na TV Globo, onde o papel foi feito por Isabelle Drummond, com 8 anos na época.(wikipedia)

Comments

Deixe uma resposta