Primeiros jornais de Taubaté estão na internet

tteense

O Taubateense(1861), jornal pioneiro da nossa imprensa, pode ser consultado online

O Almanaque Urupês em associação com a DocPro, empresa especializada na criação de bibliotecas virtuais, está disponibilizando a íntegra das primeiras edições de “O Taubateense”, jornal de 1861 que inaugurou a imprensa na cidade.

Os originais do “O Taubateense” estão preservadas no Arquivo Público de Taubaté e já foram digitalizadas pelo Arquivo Público do Estado.  Sem possuir uma plataforma adequada, a prefeitura ainda não havia disponibilizado o periódico na internet.

O Almanaque Urupês, que havia intermediado a digitalização, buscou os meios para finalmente publicar “O Taubateense” na rede mundial de computadores.

E assim, sem custos aos cofres da municipalidade, o primeiro jornal de Taubaté estreia no mundo virtual.

“Essa iniciativa é importante porque difunde nosso acervo também para um público leigo que, como os pesquisadores que nos visitam, poderá ter acesso aos primeiros jornais de Taubaté”, comentou Wanderlan de Carvalho Filho, gerente da Área de Museus, Patrimônio e Arquivo Histórico de Taubaté, responsável pelo Arquivo Histórico de Taubaté.

“Além da importância cultural dessa publicação, a digitalização do Taubateense apresenta a vantagem de preservarmos ainda mais os exemplares originais que estão depositados no arquivo, pois eles serão menos manuseados.”, explicou Martha Serra, Secretária de Turismo e Cultura

 

Ferramenta de Pesquisa

Para quem não conhece, a DocPro é a empresa responsável por disponibilizar o acervo digital da Hemeroteca da Biblioteca Nacional, uma das maiores contribuições prestadas a preservação e difusão da memória brasileira. Exagero? Pergunte aos milhares de pesquisadores e estudantes que consultam diariamente esse acervo.

A ferramenta de busca na biblioteca tem tamanha precisão que merece “calorosos vivas” na redação do Almanaque Urupês.

 “Iniciamos esse projeto de digitalização em 2012 e já está com mais de 17 milhões de páginas de jornais. Dentre as instituições que trabalham conosco está a Biblioteca Nacional, a Petrobras, o Serviço Geológico do Brasil, a Fundação Getúlio Vargas e a TV Globo”, explicou Luciana Neves, analista de negócios da DocPro.

E é com esse sofisticado sistema de inteligência artificial que O Taubateense está sendo apresentado para a internet.

As 13 primeiras edições podem ser acessadas clicando aqui. O restante fica por conta da prefeitura. Afinal, o exemplo foi dado.

 

Veja também:

– Primeiros jornais de Taubaté foram digitalizados;

– Primeiro jornal na rede;

– A Primeira Gráfica;

– A primeira oficina tipográfica de Taubaté;

– O 1º editorial da imprensa taubateana;

 

Acompanhe o Almanaque Urupês também na nossa página do facebook e twitter

Comments

1 Comentário

  1. Vincent

    10/01/2016 at 3:38 pm

    Nossa história não pode ser deixa pra trás no mundo analógico, é um grande viva digital mesmo! Parabéns aos envolvidos!

Deixe uma resposta