Artista plástico inaugura exposição Fagia

Mostra de Kleber Marcelino entra em cartaz na Casa Amarela, de Caçapava, no dia 21 às 20h;

O artista plástico Kleber Marcelino deu novo uso às sombras para criar a exposição Fagia, que será inaugurada dia 21, às 20h, na Casa Amarela de Caçapava.

“O termo Fagia vem do grego “Phagei”, que é o mesmo que “Comer”. (Repensei o) papel (da sombra) na pintura (…), como se a sombra “errada” tivesse se alimentando da sombra original da figura”, explica Kleber.

Com curadoria de Elda Varanda Dunley, a mostra, que começou a ganhar vida em 2014, reune 22 desenhos inspirados em imagens cotidianas, que são divididos em três séries: “Sombras”, “Crianças-pombas” e “Fagia”.

“A ideia é que essas figuras (cotidianas) possam aproximar o observador da obra”, conta o artista.

Essa é a primeira exposição de Kleber na Casa Amarela, espaço cultural que se propõe ser um ponto de convergência de arte e cultura na região.

“É de grande importância ter entre as exposições (da Casa Amarela) os artistas plásticos do Vale, Litoral e Serra, que produzem trabalhos que instigam a reflexão e o pensar artístico voltado também para a arte contemporânea. Kleber Marcellino mostra em ‘Fagia’ seus estudos sobre a importância da arte na cadeia das relações entre figuras e sombras. A exposição está belíssima”, revela Elda Varanda Dunley, responsável pela Casa Amarela.

Natural de Taubaté, o artista tem em seu currículo participações na Mostra de Arte da Juventude do Sesc de Ribeirão Preto, na Mostra de Artes Visuais de Curitiba e no Salão Nacional de Belas Artes de Ubatuba, além de obras em acervos na Inglaterra e Espanha.

Formado em artes plásticas e especializado em artes visuais, atualmente é instrutor de artes no Centro Cultural de Taubaté e criador do projeto Correntes Positivas, intervenção artística que coloca correntes de papel em espaços públicos ou privados.

Fagia fica em cartaz por três meses na Casa Amarela, na Rua José Ludgero de Siqueira, 30 e 32, na Vila São João em Caçapava.

 No dia 21 também será inaugurada a exposição “Lembranças do Cinquentenário da Catástrofe de 18 de março de 1967”. Feita pela Estação Casa Amarela em parceria com a Fundação de Educação e Cultura de Caraguatatuba (FUNDACC), a mostra apresenta  fotos do arquivo público de Caraguatatuba que retratam a memória de quem vivenciou os deslizamentos de terra em 1967.

Acompanhe o Almanaque Urupês também na nossa página do facebooktwitter e youtube .

Comments

Deixe uma resposta